O Regresso

Leonardo DiCaprio O Regresso

A natureza não se importa com você. Às vezes temos a certeza de que tudo nos rodeia. É justificável, mas não se iluda. Isso não acontece. Você acordará6h e trabalhará até as 18h. Dormirá às 23h e no dia seguinte fará tudo novamente. Sua água acabará quando estiver no banho. Seu chefe negará oaumento e alguém baterá no seu carro. Com prazer nos olhos, você negará ajuda ao inimigo do trabalho. 8h na quarta-feira de cinzas acordará o seu vizinho chato com o liquidificador. Não vou te iludir. Rotina, injustiças, sofrimento, vinganças. Nada disso importa. Tudo o que nos resta é apenas a adaptação. Saí do cinema com essa sensação. E por isso valeu a pena.

Alejandro González Iñárritu é acusado por alguns de produzir uma obra rasa. Disseram por aí que ele gastou 156 min pra falar apenas de violência e vingança. Nada mais. E ainda ficou mostrando a natureza. “Se eu quiser ver neve com um áudio legal eu assisto Discovery! ” …Espera um pouco aí, rapaz! O filme tem o seu valor. Na obra de Iñarritu a violência causada pelos homens e pela natureza é divinamente opressora. Em alguns momentos senti as pessoas com medo de tossir ou chorar muito alto. Contar uma história e conseguir impactar o espectador dessa forma, vamos concordar, não é fácil.

Leonardo DiCaprio O Regresso

Apesar de ser um filme de velho oeste, The Revenant não pertence ao gênero. O Texas geralmente é cenário dessas histórias, no entanto, nessa ele é apenas mencionado como um paraíso a ser conquistado. O inverno nos faz esquecer de qualquer semelhança com os antigos faroestes do Tex Willer ou do Sergio Leone. Contudo, pude perceber a silenciosa atmosfera dos westerns. Diálogos precisos. A natureza se faz presente no enredo. Tensos duelos com as charmosas armas de 1800. Além, claro, da vingança que impulsiona o protagonista. Isso tudo contado de uma forma que pouco lembra o gênero.

Leonardo (Hugh Glass) agrada a todos. O marketing feito para chamar a atenção não consegue desmerecer o valor de sua atuação. Falo sobre a ênfase que deram ao fato dele ter comido carne crua e passado frio de verdade. Isso não conseguiu abalar o seu trabalho impecável. DiCaprio nos convence e isso é o principal. No jogo entre o espectador e o filme eu temi por sua vida. Chorei por sua dor. Torci pela vitória. Acreditei na história.

Tom Hardy - John Fitzgerald - O Regresso

Dando suporte ao personagem principal, Tom Hardy (John Fitzgerald) também tem seu valor. Como personagem coadjuvante o ator dá vida ao inimigo que em algum momento da vida todos nós temos. Ou em outros momentos somos. Mas claro, nunca admitiremos isso. Provavelmente você nunca cutucou a ferida de um conhecido esperando que ele explodisse de raiva. Isso com certeza nunca aconteceu e nem acontecerá.

O Regresso Leonardo DiCaprio

Vá assistir ao O Regresso. Viaje para 1800. Desfrute dos planos sequencias. Reflita sobre como é viver num ambiente impiedoso e solitário. A comparação com sua vida será inevitável. Tenho certeza que será uma experiência no mínimo transformadora.

Douglas Zimmermann

Douglas Zimmermann

Natural do litoral mineiro (Juiz de Fora). Doug é artista, pai,  ilustrador, cinéfilo, quadrinista e designer, não necessariamente nesta ordem.

Alguns dos seus outros trabalhos: Site

 

Um comentário em “O Regresso

  1. É um filme que deixa o expectador mal, mas vale muito a pena ser visto. E sim, DiCaprio está maravilhoso. O marketing pra ele ganhar o Oscar não muda o fato de que a atuação dele está muito boa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *