12 Macacos e o Zika

12 Macacos

 

A história se passa no futuro próximo de 2035. Quase toda as pessoas morreram por causa de um vírus criado pelo homem. Clichê? Terry Gilliam pediu #isolares e se inspirou no média-metragem La Jetee, de 1962 (tem no YouTube). James Cole (Bruce Willis) precisa voltar no tempo e descobrir onde está o tal do marco zero para salvar todo mundo.

Há 21 anos o filme foi lançado. De lá pra cá ouvimos falar da: Aids, Ebola, Gripe Suína, Mal da Vaca Louca, H1N1, Malária, Dengue Hemorrágica… Ano passado o hit do momento foi o Zika vírus. O vírus estava adormecido numa floresta africana (Floresta de Zika), mas agora acordou enquanto o gigante brasileiro tirava um cochilo. As distâncias estão cada vez menores. Alguns cientistas menos otimistas dizem que é questão de tempo para outros vírus chegarem ao Brasil. Lembrando que a olimpíada é este ano. Tenso!

A arte imita a caótica vida. Bruce, na pele de Cole, tem dificuldades para que acreditem na sua história. Um careca com cara de maluco diz que vem do futuro pra salvar a humanidade. Tudo bem, é difícil de aceitar. Contudo, um mosquito com o nome egípcio e uma doença africana que causa microcefalia, isso já é mais plausível. Mesmo assim, temos visto mais pânico e histeria do que ações de combate.

12 Macacos

 

12 Macacos pode parecer inicialmente ingênuo, mas toca num ponto fundamental. Qual é o nosso legado? James volta ao passado para tentar consertar nosso erro. Nossos problemas são evidentes, mas o tapete que os escondem parece ter fundo infinito. Igual a bolsa da Hermione. Dentro dela podemos colocar aquecimento global, xenofobia, extremismos, desigualdade social, consumismo e por aí vai. Ficando longe dos nossos olhos, tá valendo.

Com as devidas ressalvas, se coloque no lugar do James. Imagine que você tem uma boa memória e é um(a) prisioneiro(a) em nosso presente. Por ter uma boa memória você receberá a “delação premiada” e poderá voltar ao passado para nos salvar deste conturbado presente que nos encontramos. Pra onde você iria? O que faria para nos salvar? Deixe nos comentários se tiver coragem.

Obs.: tome muito cuidado! Você pode encontrar a Madeleine Stowe ou Brad Pitt e perder o foco da missão.

 

Douglas Zimmermann

Douglas Zimmermann

Natural do litoral mineiro (Juiz de Fora). Doug é artista, pai,  ilustrador, cinéfilo, quadrinista e designer, não necessariamente nesta ordem.

Alguns dos seus outros trabalhos: Site

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *